O Grupo Sonae, detentor da empresa espanhola do sector têxtil Losan desde 2015, decidiu passar a actividade logística para Portugal por considerar que esta não consegue responder às necessidades e novos desafios que o mercado exige.

A fábrica da Losan, sediada em Caspe, tem 130 pessoas entre cargos de escritório e logística, mas a Sonae garante que está a tentar minimizar o impacto desta decisão, embora ainda não tenha avançado, de acordo com a imprensa espanhola, com mais informações relativas a essa decisão. Também se propôs a considerar soluções individuais para cada trabalhador, de forma personalizada, através do “diálogo construtivo e espírito de colaboração”.

A Sonae considera que esta é uma oportunidade que trará vantagens à empresa, mas não uma solução definitiva, pois esta medida “não resolve as necessidades prementes de modernização que as instalações de Caspe exigem para alcançar as condições competitivas de um mercado em constante mudança”.

A empresa rejeitou ainda a proposta do Governo de Aragão para a criação de um porto seco por considerar que a região “não cumpre as condições tecnológicas nem de timings para reforçar a sede de Caspe em termos de eficiência e competitividade”.

Para avançar com o projecto de Porto Seco a empresa teria de ter tempo para que este estivesse concluído. “Os novos modelos de negócio de venda exigem avanços tecnológicos nos processos de picking, em concreto na preparação de pedidos, que permitam optimizar a sua distribuição com garantias de eficiência e produtividade.

A administração da Losan revela que transferindo a actividade logística para o centro da Sonae passam a ter acesso a tecnologias avançadas que lhes permitem responder melhor ao mercado, evitando um investimento imediato de 15 milhões de euros para a remodelação do centro logístico e compra de equipamentos inovadores e especializados.

“Para garantir a viabilidade da empresa, é necessário optar pela transferência da actividade logística para a fábrica que a Sonae tem em Portugal, que já possui esta tecnologia no seu centro”, conclui a Losan.

Share This

Partilhar este artigo