Após traçar uma visão mais global da Logística do Ecommerce, desenvolveremos alguns tópicos relativos à Gestão das Instalações que suportam a operação e à componente de Custos Logísticos.

O desenho de instalações logísticas (logistics real-estate) irá depender em primeiro lugar do tipo de operações que suportam a distribuição para a venda online, destacando-se:

– Operações combinadas: a operação para a venda online e para uma rede física de lojas estão confinadas a um mesmo Centro de Distribuição;
– Instalações partilhadas: à medida que a venda online e o volume da operação crescem, o distribuidor pode optar por uma solução de out-sourcing (um Operador Logístico), que por sua vez partilha as operações de diferentes retalhistas num único centro;
– Armazéns ou Centros dedicados: um negócio online em larga escala, irá requerer a partir de dado momento, um ou mais Centros logísticos dedicados.

Identificam-se 4 grandes vetores para o crescimento do Ecommerce e que vão ter forte impacto na definição da rede de instalações logísticas:

– sortido: à medida que este cresce em categorias e profundidade, maiores serão as necessidades de espaço e complexidade, com especial destaque para as secções que requerem ambiente em temperatura controlada;
– níveis de inventário: a escolha dos níveis e localização dos stocks, mesmo que em regime de buffers, irá dimensionar a área e número de centros necessários;
– entregas B2C: a preparação e a entrega direta de encomendas individuais aos consumidores finais, requere também espaço adicional;
– logística inversa: as instalações serão também determinadas pela política de devoluções, que engloba a nível operativo o seu reprocessamento e “restockagem”.

A expressão “ecommerce fulfillment” presente no léxico do negócio online, relata a parte da operação relacionada com a preparação e entrega dos pedidos ao cliente final. Esta área abrange, desde o processo de compra dos produtos aos fornecedores, aos processos operativos no centro de distribuição, até ao transporte e entrega das encomendas ao consumidor final. Os seus custos, chamados custos de atendimento (fulfillment costs) terão efeito preponderante na rentabilidade do negócio e englobam várias rubricas que se destacam:

  • custo da encomenda;
  • operação de receção e gestão de stocks;
  • custos de faltas (out of stocks);
  • o embalamento e preparação das encomendas;
  • o custo de transporte e entrega e operação de devolução.

O desenho desta operação logística deverá ter presente, que o sucesso do Ecommerce irá necessitar de instalações logísticas (centros, plataformas ou lojas físicas) tão próximo quanto possível do cliente final à medida que a procura requer prazos de entrega cada vez mais curtos, e que a rentabilidade do negócio terá que ser suportada por um controlo detalhado dos custos logísticos.

Manuel José Gomes
Consultoria Logística e distribuição

Share This

Partilhar este artigo