Não foi há muito tempo que sonhávamos com carros que se conduzissem a si mesmos ou com robôs que fizessem entregas, substituindo os humanos… A verdade é que esta realidade já se encontra operacional, é funcional e promete revolucionar a logística.

“Os robôs são agora capazes de perceber, escolher, manipular e colocar uma variedade de produtos, objectos e ambientes  menos estruturados”, conta Alvaro Echeverria, fundador da SimpliRoute, um software que gere várias rotas de entrega de maneira simples e inteligente. O fundador, especialista em logística, evidencia cinco aspectos em que a robótica pode revolucionar a logística.

1 – Robótica para assistência em carga e entrega pesada de produtos
Nas entregas, por vezes os distribuidores deparam-se com cargas pesadas ou manipulação especializada, precisando de auxílio de outro tipo de mecanismos para as transportar. Já existem hoje empresas que se encontram a adoptar a assistência de robôs para minimizar o erro na operação. Conta que “a empresa DHL usa dispositivos nas costas dos seus trabalhadores para não os sobrecarregar”.

2 – Robótica para embalamento e personalização de produto
Personalizar produtos de acordo com os perfis dos clientes é uma boa técnica para atrair clientes, mas requer tempo, esforço e dedicação humanos. Alvaro explica que algumas empresas internacionais já adoptaram robôs para fazerem este trabalho de costumização de produtos.

3 – Robótica para entrega e distribuição de encomendas
Há já hoje empresas que trocaram as pessoas por robôs para a entrega de encomendas, mais comummente pensados para entregas frequentes de encomendas e rotas curtas, dando como exemplo a distribuição através de drones da Amazon.

4 – Robótica para a gestão de stocks
Em empresas em que existe uma gestão dinâmica de stocks, o uso da robótica para este efeito pode ser uma grande vantagem para optimizar tempo e melhorar a assertividade, minimizando os erros.

5 – Robótica para manuseamento de produtos na carga e descarga de contentores
Alvaro Echeverria explica que existem diversos produtos que são transportados em contentores que deveriam passar por um processo de embalamento e carregamento mais cuidado, tendo em conta as condições de transporte, duração e risco de acidentes de viagem, e conta que o porto de TraPrac, em Los Angeles, é pioneiro nos EUA no uso da robótica para o processo de carregamento de contentores.

“A tecnologia que foi desenvolvida será crucial para superar este desafio e esperamos que nos permita fazer novos avanços, não só no sector da logística, mas também noutras aplicações industriais, aumentando assim a sua produtividade, fiabilidade e rentabilidade”, conclui o especialista.

Share This

Partilhar este artigo