A Central de Compras da OesteCim – Comunidade Intermunicipal do Oeste foi criada em 2011, mas não tinha uma grande actividade, até ter sido resgatada pelo novo conselho intermunicipal, presidido pelo também presidente da Câmara de Alenquer, Pedro Folgado. Desde a sua génese, a Central de Compras já poupou 3,7 milhões de euros aos seus membros.

Integrando a OesteCim estão 12 municípios: Alcobaça, Alenquer, Arruda dos Vinhos, Bombarral, Cadaval, Caldas da Rainha, Lourinhã, Nazaré, Óbidos, Peniche, Sobral de Monte Agraço e Torres Vedras, mas a Central também se alargou a outras entidades para que também elas possam “beneficiar de reduções de preços de bens e serviços adquiridos, como várias uniões de freguesias destes municípios e associações.

Em comunicado, a OesteCim divulgou que a Central de Compras já celebrou 28 acordos-quadro, no total, sendo que “cerca de 75% do total de adjudicações acumuladas pertence aos sectores combustíveis, refeições e energia”.

O secretário intermunicipal da OesteCim, Pedro Afonso Monteiro, disse à Lusa que a central traz vantagens competitivas e vantajosas, e que a sua utilização é importante para economizar nas compras das diversas entidades: “não faz sentido não utilizar a Central para conseguir preços mais competitivos para os municípios e outras entidades, como associações, que através dos acordos-quadro podem conseguir condições mais vantajosas nas respectivas aquisições”.

“Em grande parte, dos projectos da OesteCim, as transacções foram este ano feitas também através da Central”, procurando “alargar a acção a ainda mais freguesias e associações de toda a região”, conta ainda o responsável.

Já outras regiões nacionais utilizam Centrais de Compras para adquirir bens e serviços, procurando obter uma vantagem lucrativa, como são exemplo as Centrais de Compras das CIM Viseu Dão Lanfões, CIM Região de Coimbra, CIM Cávado, entre outras.

Share This

Partilhar este artigo