Os portugueses estão a aderir cada vez mais à internet para comprar as suas prendas de Natal, e embora estejam ainda abaixo da média europeia, esperam-se milhões de encomendas virtuais este Natal. Os CTT revelam pela primeira vez os números: Mais de 1,1 milhões de encomendas feitas entre a Black Friday e a Cyber Monday (23 a 26 de Novembro), época que inaugura as compras natalícias, e ainda esperam mais meio milhão, oriundas do mercado asiático.

Claro está que nem todas estas encomendas dirão respeito ao Natal, mas são estas alturas do ano que atingem os picos de encomendas, devido às promoções por vezes alcançarem os 50% de desconto, o que leva as pessoas a aproveitar para adiantar as prendas natalícias, ou mesmo para comprar algo para si mesmos.

A DPDgroup, detentora da Chronopost e da Seur, por sua vez, espera 2,2 milhões de encomendas até ao Natal, um aumento de 22% quando comparando com a movimentação feita no mesmo período do ano passado, e de 47% relativamente ao resto do ano.

Também a DHL sentiu um aumento no transporte de encomendas, e conta que entre a Black Friday e a Cyber Monday registaram um aumento de 30% no volume de envios.

A Worten também sentiu um grande aumento nas encomendas, e Inês Drummond Borges, directora de Marketing da empresa, conta ao ECO que a campanha de marketing deste ano teve uma subida significativa, tendo o tráfego no site aumentado em 60%, “as receitas registadas em 2018 especificamente nos dias da Black Friday subiram de forma muito significativa face a 2017 e, nas vendas online, esta subida foi particularmente expressiva”. A subsidiária da Sonae foi a primeira marca a apostar na Black Friday, e embora já fizesse promoções nesta época do ano, só em 2017 adoptou este conceito, tendo tido uma grande adesão por parte dos consumidores.

O KuantoKusta, uma plataforma de comparação de preços, estreou o seu marketplace na Black Friday, e conta que entre cliques e vendas movimentou mais de 17 milhões de euros, valor “impulsionado pelos mais de 445 mil utilizadores que visitaram o site entre sexta-feira e domingo”. No total, foram 1,7 milhões de visitas durante a semana da Black Friday.

A grande movimentação de mercadorias também levou a uma fiscalização por parte da ASAE, que instaurou 66 processos de contraordenação, entre razões de falsos descontos e de não cumprimento das regras de afixação de preços nas lojas físicas nos 310 operadores económicos fiscalizados.

Share This

Partilhar este artigo