Celebrou-se no dia 29 de Novembro os 20 anos da licenciatura em Gestão da Distribuição e da Logística (GDL), a primeira oferta formativa deste domínio no ensino superior português, da qual o Instituto Politécnico de Setúbal (IPS) foi responsável no ano lectivo 1998/1999. Após 20 anos, torna-se ainda hoje uma referência para o mercado, preenchendo as vagas e tendo criado uma nova oferta Pós-Laboral de modo a abranger mais estudantes e um maior leque de horários.

João Piteira, o Director da Escola Superior de Ciências Empresariais (ESCE/IPS) na altura em que se criou a licenciatura em GDL, e 20 anos depois apresenta-se para a primeira edição das Jornadas da Distribuição e Logística, juntamente com Pedro Dominguinhos, Presidente do IPS, Boguslawa Sardinha, actual Directora da ESCE/IPS, e Afonso Almeida, Vice-Presidente da APLOG.

Na sessão de abertura, o antigo Director explica que, à data, a licenciatura fora pensada por não haver outra oferta formativa na área, e após um inquérito feito em 1997 a algumas empresas da região, e depois novamente a grandes empresas a nível nacional, foi conclusivo que esta seria uma área a explorar para colmatar a falta de oferta existente, que se limitava a uma pós-graduação e a um mestrado. A primeira licenciatura específica em logística tinha tudo para ser lançada: interesse, pessoas experientes na área e uma oferta única.

“Antes as empresas tinham de dar formações específicas aos seus funcionários devido à falta de oferta”, explica Afonso Almeida, acrescentando que as empresas não estavam tão atentas ao mundo da logística, e considera ter sido importante verem as melhorias que esta formação lhes poderia trazer em termos de optimização de operações ou melhorias de custos.

De seguida, o Professor José Manuel Viegas apresenta o tema “Cadeias de Valor Internacionais: mudanças importantes nas próximas décadas”, suportando-se em três forças principais: Globalização, Just-in-Time e Conectividade Digital, falando das vantagens que foram criadas nestas áreas ao longo dos anos, e especialmente com a abertura das fronteiras, e da evolução que se foi criando no mundo, debruçando-se sobre o que poderemos esperar daqui para a frente, dando alguns exemplos tecnológicos que já se encontram nos dias de hoje a acontecer e/ou em desenvolvimento.

Também houve espaço para duas sessões paralelas, onde foram apresentados e discutidos vários trabalhos de investigação, de doutoramento e de mestrado, sendo os trabalhos divididos entre sessões paralelas direccionadas ora para o ramo da logística, ora para o ramo da distribuição.

Durante a tarde houve uma mesa redonda, sob o mote “Portos 4.0: Janela Única Logística”, na qual participaram o professor Vítor Caldeirinha, António Belmar da Costa e novamente o professor João Piteira, uma mesa redonda que abordou o tema dos portos modernos e das oportunidades que advêm da aposta na modernização.

Por fim, ainda a visita à The Navigator Company. A gigante portuguesa do papel abriu as portas a uma visita guiada pela fábrica, limitada ao número de inscrições e lugares disponíveis, e onde foi apresentado em detalhe todo o processo automatizado de produção e armazenagem de papel, que posteriormente será exportado para os cinco continentes.

Share This

Partilhar este artigo