A SAP acaba de revelar uma iniciativa de inovação, especialmente desenhada e desenvolvida para o grupo Trivalor, em conjunto com a NextReality (Grupo IT People) e a ROFF, que compreende a adopção de tecnologias inovadoras em ambiente real, mais concretamente nos processos de gestão de armazém.

Este projecto de inovação, cuja integração com SAP foi implementada pela consultora ROFF, assenta numa solução de realidade assistida, desenvolvida pela NextReality, que recorre à utilização de óculos inteligentes (RealWear smart glasses) e que é aplicada ao processo de conferência pós-picking dos artigos no armazém de uma das empresas do grupo Trivalor – a Sogenave, companhia de distribuição alimentar e não alimentar. Esta solução traz para o quotidiano dos colaboradores do grupo Trivalor o conceito de “augmented worker”, por basear o desempenho das suas tarefas diárias em tecnologias de realidade assistida (AR – Assisted Reality).

Desde a concepção à utilização, o projecto durou três meses e a tecnologia de realidade assistida testada provou poder executar o processo com eficiência, adicionando a capacidade de libertar as mãos dos colaboradores. Com esta solução, o colaborador ganha flexibilidade e deixa de utilizar os habituais dispositivos de scanning, passando a deter o total controlo de todas as operações graças à informação disponibilizada no seu campo de visão, que é combinada com comandos de voz e possibilidade de reconhecimento de imagem.

Nesta parceria, a solução da SAP combina a ligação bidirecional dos óculos de realidade assistida à informação de contexto dos processos de gestão de armazém assegurados pelo software de gestão empresarial da SAP, tendo esta interligação sido realizada pela ROFF e a visualização das ferramentas em realidade assistida colocada pela NextReality.

Sobre a realização desta iniciativa, Luís Urmal Carrasqueira, director-geral da SAP Portugal refere que “se trata de um excelente exemplo da capacidade da SAP em co-inovar conjuntamente com os seus clientes e parceiros. Pioneira em Portugal, esta iniciativa é a prova de como, num curto intervalo de tempo, é possível adoptar e testar inovações em contextos reais, para uma rápida avaliação do respectivo valor nos negócios das empresas”.

Por sua vez, Luís Ferreira, CIO do grupo Trivalor revela que “ao procurarmos novas formas de melhorar a eficiência dos nossos processos de gestão, descobrimos que podemos adicionar novas capacidades de execução aos nossos colaboradores. Neste sentido, e apesar desta tecnologia ainda estar numa fase inicial de desenvolvimento, é nosso interesse estendê-la a outros processos de negócio no grupo”.

Francisco Febrero, CEO da ROFF, refere que “sabemos que a transformação digital não é uma promessa. Está a acontecer agora e pode impactar directamente a forma como as empresas trabalham. Apoiamos os nossos clientes nessa jornada pois sabemos que as empresas digitais terão um diferencial competitivo para se distanciar da concorrência e melhorar a experiência dos seus clientes”.

Para Eduardo Vieitas, CEO da NextReality, “quer a realidade assistida, como a aumentada, despertam diariamente a transformação digital nas empresas nacionais e multinacionais. Este projecto evidencia a nossa capacidade de aplicar tecnologias disruptivas ao serviço dos processos de negócio, proporcionando a optimização das tarefas dos colaboradores e a disponibilização da informação necessária em modo de mãos livres”.

Share This

Partilhar este artigo